agosto/18
24

Conheça a Jéssica, bolsista do Ganhar o Mundo aprovada por Barnard College para a bolsa integral de graduação do programa

Publicado por

Jéssica de Oliveira, 19 anos, de São José dos Campos – SP, foi selecionada por Barnard para a bolsa integral de graduação do Ganhar o Mundo. Escolheu cursar educação e economia e começará em setembro de 2018 em Nova Iorque.

O blog do Ganhar o Mundo conversou com a bolsista e conheceu sua trajetória, desafios e sonhos, veja a seguir.


 

  1. Como você começou a se interessar por estudar no exterior?

Desde criança, sonho em estudar fora do país e em ajudar as pessoas a mudarem suas realidades. Assim, com o passar do tempo, tais sonhos foram se tornando mais elaborados e comecei a entender o que realmente gostaria de fazer. Pesquisei bastante e cheguei à conclusão de que eu queria estudar em uma universidade americana na área de Educação.

 

  1. E como esses sonhos foram se “tornando mais elaborados”?

Estudava em escola pública e quando estava no 7º ano fiz o processo seletivo para entrar no ISMART- Instituto Social para Motivar, Apoiar e Reconhecer Talentos, e fui aprovada. Assim, durante o 8º e 9º ano eu estudava de manhã na escola pública e fazia um curso preparatório para o ensino médio no colégio Objetivo.

Todos os anos o ISMART realiza uma convenção na qual reuni todos os bolsistas, quando tinha 14 anos participei desse evento e assisti a uma palestra com a Larissa Maranhão, que estava indo estudar em Harvard (EUA), onde ela contou sua trajetória e falou sobre como conseguiu estudar fora. Eu achei muito interessante, comecei a pesquisar mais e descobri que queria isso para a minha vida.

 

  1. Por que você escolheu estudar Educação e Economia e como foi essa escolha?

Escolhi educação e economia porque por meio dessas áreas estarei mais próxima para colaborar com a diminuição das desigualdades sociais de nossa sociedade. Além disso, olhando para a história da minha família, vejo que a educação foi a melhor forma que encontramos para buscar novas oportunidades na vida. Ela abriu as portas tanto para meus irmãos, quanto para mim e foi por isso escolhi cursar Educação em Barnard.

 

  1. Quais foram os passos seguintes?

Enfrentei diversas barreiras, a primeira delas foi o idioma. Eu não sabia inglês, mas consegui uma bolsa de estudos de dois anos em uma escola de idiomas. Ainda não era o suficiente, então meus irmãos continuaram a pagar meus estudos para aprimorar meus conhecimentos na língua. Ao todo fiz quatro anos de inglês. Depois consegui uma bolsa de estudo para o ensino médio no Colégio Embraer Juarez Wanderley e comecei a participar de simulações da ONU, olimpíadas cientificas e outras atividades extracurriculares que poderiam agregar no meu desenvolvimento como aluna.

 

  1. Por falar em desenvolvimento, você criou um grupo voluntário de ensino. Conte mais sobre essa iniciativa.

Durante o ensino médio me incomodava muito o fato de que no meu bairro apenas eu fazia parte do ISMART, além de terem poucos jovens em boas escolas como o Colégio Embraer. Mas eu sabia que havia muitas pessoas inteligentes e capazes, então inspirada por debates sociais e pelo desejo de ajudar ao próximo a conquistar oportunidades, eu criei o projeto Educa+SJC, no qual dava aulas preparatórias para vestibulinhos para alunos do 9° ano. Após os resultados, com alunos sendo aceitos em escolas como ETEC e Univap, me senti extremamente realizada por ter tido a oportunidade de ajudá-los. Em 2015, o Educa+SJC foi premiado pelo movimento Mapa Educação como um dos 100 projetos na área de educação mais influentes. Fui convidada para participar da primeira edição do programa, que reuniu jovens do Brasil inteiro para discutir sobre o cenário atual da educação no nosso país. Em 2017, além de continuar com as aulas do Educa+SJC, o qual consegui expandir para mais bairros de São José dos Campos, também passei a dar aulas para outros alunos do ISMART que desejavam estudar no exterior. Pude compartilhar minhas experiências e informações sobre o application e posso dizer que foi extremamente gratificante! Também fui convidada para uma parceria com o Instituto Van Veen, instituição holandesa que ajuda jovens de todo o Brasil no processo de application.

 

  1. Quais são suas dicas para quem tem o sonho de estudar no exterior?

Não desistir é fundamental, toda essa jornada não foi nada fácil. Foram muitos desafios, escolhas a serem tomadas e, é claro, muitas noites sem dormir estudando. Porém, olho hoje e vejo como tudo valeu a pena e como faria tudo da mesma maneira. Além disso, aproveitar todas as oportunidades disponíveis é essencial! Sou muito grata por todos os recursos, suporte e apoio recebidos pelo ISMART e Ganhar o Mundo. Sem dúvidas fizeram toda a diferença em minha trajetória.

 

  1. Além de Barnard, quais outros vestibulares e/ou applications você foi aprovada?

No Brasil fui aprovada na UNESP, UFSJ, Mackenzie e no Insper com bolsa de integral. Nos Estados Unidos, passei também na The New School, Babson College e University of Denver.

 

  1. Como foi sua experiência no curso intensivo da The New School durante o Ganhar o Mundo?

Foi essencial para minha formação na língua inglesa, aprendi muito durante o curso intensivo e consegui avançar no TOEFL. Sem esse curso não teria conseguido resultados tão importantes quanto os que conquistei, além de ter contribuído também para meu amadurecimento e desenvolvimento pessoal.

 

  1. Quais são seus planos futuros?

Tenho o sonho de trazer para o Brasil uma nova proposta de escola e outro modelo de ensino, mais alinhado com as necessidades dos alunos em nosso país, mas preciso estudar muito primeiro e esse vai ser meu maior foco e plano para os próximos anos: estudar, estudar e estudar para continuar Ganhando o Mundo!